Blog

Questão de Pele
29 junho 2016 The Skin

PELE E CABELOS NEGROS, LINDOS E SAUDÁVEIS

A pele negra, embora mais resistente, apresenta particularidades que merecem
atenção especial. Ela é mais suscetível, por exemplo, a desenvolver manchas,
foliculite e queloides, enquanto os cabelos das pessoas desse fototipo têm
mais tendência a sofrer com a alopecia de tração. Vamos às principais
queixas, dicas e tratamentos:

Alopecia de tração
Essa é uma condição típica do cabelo afro que muito nos preocupa. A alopecia
de tração é causada por penteados com tranças apertadas e interlaces, que
puxam muito os fios. O uso frequente de alisantes, extensões, chapinha e
escova também pode enfraquecê-los, causando a alopecia química. Para evitar,
é muito importante o acompanhamento de um dermatologista e análises
periódicas do couro cabeludo e dos fios. O diagnóstico precoce é
fundamental. Existem hoje procedimentos em consultório que podem ajudar
muito no tratamento da queda, como o microagulhamento robótico de ouro e
lasers fracionados com LED.

Foliculite
Esta é outra queixa muito frequente na pele negra, porque os pelos costumam
ser encaracolados e com tendência a encravar na superfície, gerando grande
desconforto e até dor. A esfoliação semanal é recomendada nesses casos e a
depilação a laser é uma ótima opção, quando o problema for recorrente. 

Manchas
Elas também são comuns na pele negra, podendo ser agravadas pelo excesso de
melanina. Além da prevenção através do uso diário de filtro, podemos contar
com inúmeros protocolos para tratar manchas causadas pelo sol, melasmas e
hiperpigmentações pós-inflamatórias. Uma novidade é o Tixel, tecnologia
fracionada não-laser, capaz de transferir energia térmica para a pele com
muita rapidez e segurança. Ele estimula a produção de colágeno novo, sendo
indicado para o tratamento da pele fotoenvelhecida, melhorando não só as
manchas, como também rugas, cicatrizes de acne, cicatrizes cirúrgicas e
estrias. 

Flacidez
Entre os negros, essa queixa costuma ocorrer só lá por volta dos 40 anos,
diferentemente do que ocorre em outras etnias, onde a flacidez aparece mais
precocemente. Portanto, ela pode e deve ser prevenida e tratada. Entre as
tecnologias disponíveis, o ultrassom micro e macrofocado (face e corpo) age
promovendo o skintightening da pele e redefinindo o contorno. Ele pode ser
associado ainda a bioestimuladores de colágeno, para potencializar os
resultados e auxiliar na manutenção saudável da firmeza dessa pele. 

Mas antes de se submeter a qualquer tratamento, é fundamental o paciente
passar por exames de imagem, que irão mostrar a real idade da pele e ajudar
o dermatologista a prescrever o melhor protocolo, caso a caso. 

admin